Comece a pedalar

Visualização também é treino

Publicado em 14/02/17
Medo de descer //Foto: Steve Johnson // Creative Commons

Medo de descer // Foto: Steve Johnson // Creative Commons

Uma das coisas mais interessantes que esportes de endurance podem te ensinar é o poder da visualização. Não, não é um poder mágico. Antes, é o impacto profundo que a visualização pode ter na forma como você encara algumas dificuldades da vida. E se decide ou não passar por cima delas.

Já falamos sobre o quanto a mente é chave para esportes de endurance. Vencer obstáculos, encarar a dor ou desistir antes de tentar são dois mundos deparados pelo pensamento. A visualização é uma das formas de treino da mente, que pode ser chave para acabar com medos.

Visualização é o ato de pinçar elementos do ciclismo que você acha que precisa praticar e construir na sua cabeça o cenário ideal dessa prática. (…) É o processo de pedalar ou correr na sua cabeça. Ao visualizar, seu cérebro faz as mesmas conexões que faria se estivesse fisicamente realizando essa atividade, sem a fadiga ou o risco de lesões. 

Visualizar previamente algo que desejamos, prepara nossa cabeça para efetivamente chegar a esse cenário. Mas isso depende de sermos capazes de criar mentalmente esse cenário. E não basta imaginar o que você gostaria de atingir, um final de prova, uma meta de tempo, de velocidade. A visualização envolve a criação mental de todo o contexto em que essa conquista será atingida. Os detalhes, as curvas, as pessoas que estarão.

Em seu trabalho, a Dra Josephine Perry, consultora em psicologia esportiva desenvolve métodos para esse tipo de treino. É mais simples do que parece e neste artigo do Total Women’s Cycling ela não só apresenta o passo-a-passo da visualização mas apresenta um exemplo de como isso pode ser realizado.

Ela mesma, triatleta, conta como usou a técnica para acabar com seu medo de descidas.

Mas não se engane achando que é algo fácil. Visualização é É um trabalho sistemático que depende, também, de treino.

Da próxima vez que estiver nessa posição você terá segurança porque já esteve lá 30 ou 40 vezes na sua cabeça, então você já tem a experiência. Chamo isso de treino livre.

O sistema de Josephine Perry e matéria completa você pode ler aqui.